Arquivo da categoria: breves

Eleições Legislativas 2015 – Resultados em Tadim e Braga

eleicoes_2015_resultados_braga eleicoes_2015_resultados_tadim

Anúncios

Uma Fotografia de Tadim

CartazSEMINARIOA empresa municipal “Trancoso Eventos”, tutelada pela autarquia daquela localidade da Beira Alta, utilizou uma fotografia de minha autoria – e sem cedência, acordo ou aquisição prévia – num cartaz relativo ao “Seminário de Segurança Ferroviária” realizado em Vila Franca das Naves no pretérito sábado, 14 de Março de 2015. Portanto, plágio.
Para lá do que mais está para vir, há que salientar a deselegância e impostura intelectual por parte da designer paga pela referida empresa municipal ao ter, propositadamente e com intenção, aparado a fotografia na zona onde a mesma se encontrava assinada com o meu endereço de correio electrónico, contacto esse que poderia ter sido usado para… me contactar.
Deselegante e pedante é também o facto de a autarquia ter removido quer o cartaz quer o anúncio do evento do seu site logo após o meu contacto. Atirar a pedra e esconder a mão… é feio.
A usurpação e a impostura não podem ficar sem rectificação.
Não ficarão.
Foto publicada originalmente aqui.
Obrigado pela preferência! Mais veremos.

“Vamos brincar à caridadezinha”

Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha
A senhora de não sei quem
Que é de todos e de mais alguém
Passa a tarde descansada
Mastigando a torrada
Com muita pena do pobre
Coitada
Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha
Neste mundo de instituição
Cataloga-se até o coração
Paga botas e merenda
Rouba muito mas dá prenda
E ao peito terá
Uma comenda
Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha
O pobre no seu penar
Habitua-se a rastejar
E no campo ou na cidade
Faz da sua infelicidade
Alvo para os desportistas
Da caridade
Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha
E nós que queremos ser irmãos
Mas nunca sujamos as mãos
É uma vida decente
Não passeio ou aguardente
O que é justo
E há-que dar a toda a gente
Não vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta é falsa intençãozinha
Não vamos brincar à caridadezinha
Não vamos brincar à caridadezinha
Não vamos brincar à caridadezinha

José Barata-Moura, 1973

“Discussão Pública do Plano Director Municipal de Braga”

discussao_pdm_braga

“Suplemento informativo de 12 páginas sobre o processo de discussão pública do PDM de Braga, publicado na edição de hoje dos jornais Correio do Minho e Diário do Minho. Consigo, construímos o futuro, participe!
Pode aceder ao documento através do seguinte link:https://dl.dropboxusercontent.com/u/51909…/Sup_PDM_final.pdf” [fonte: CMB]

Outras informações: pdmbraga.cm-braga.pt (tem música de fundo!)
Também disponível aqui!

“Três e seis nove e vai um…”

Para quem jurou acabar com o “eduquês”, há sempre o politiquês, o passos-coelhês e, se falhar tudo, a estupidez. Na verdade, o ministro da Educação tudo tem feito para não falhar nenhum erro. E consegue acertar em todos. Falhar mais, falhar pior (como não disse Beckett). Temos de dar o mérito a Nuno Crato. Mas já quanto a dar-lhe o crédito não, as contas vão (irão?) sair erradas e alguém as pagará com juros. Esta Bolsa de Contratação de Escola (BCE) cobra mais juros aos professores, alunos e pais do que o Banco Central Europeu nos piores dias da troika.

Quando Crato diz (ou disse?) no Parlamento que “os professores se mantêm”, não queria dizer “manter-se-ão”. Isto é, eles vão (irão) mesmo para a rua, cumprindo “o quadro legal existente”. Quando Nuno Crato disser que no Governo “eles mentem”, obviamente que não queria dizer “eles mentirão”. Porque na verdade já estão (estavam) todos a mentir desde o princípio, há que ser rigoroso com a linguagem e cumprindo “o quadro legal existente”. E compreender a linguagem dos números, aquela que, com o ministro Crato, nunca se engana mas também não acerta.”